Pesquisar este blog

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Visita do Papa




O papa Francisco está no Brasil realizando a sua primeira viagem, importante não só para o Brasil, mas para o mundo todo que acompanha apreensivo o que está acontecendo por aqui. O povo tem acompanhado pelo olhar vigilante da imprensa cada passo do papa e tem se emocionado bastante com os gestos e atitudes do pontífice.
Desde que foi eleito, o papa Francisco tem mostrado que a vida cristã é feito de gestos e atitudes que falam mais do que as palavras. O carro simples, o vidro aberto o papa móvel também aberto, a atenção às crianças, a simplicidade, são elementos que chamam a atenção de todos e causam admiração. É papa quebrando os protocolos.
Em Aparecida, após a missa, pede as palmas para a imagem de Aparecida e também as orações dos fiéis por ele, reconhecendo-se necessitado das orações.  É que o papa carrega consigo as preocupações da igreja universal. Para além da religião, mas também como chefe de estado, esses gestos são realmente marcantes para a igreja e o mundo. A visita de um papa é manchete no mundo inteiro. Só a igreja católica mantem essa universalidade.
A jornada mundial da juventude está acontecendo e, independentemente do seu resultado, as lições do papa Francisco já devem ser seguidas. Com o seu nome muitas crianças já estão sendo batizadas, nome muito significativo que resgata um momento belíssimo da historia da igreja e que tem dimensão universal ainda hoje.
O povo cristão, a partir destas atitudes do papa, precisa ser mais simples, nos gestos, nos gastos e nas atitudes. Vivemos em uma sociedade que em nada valoriza o despojamento e a simplicidade, mas a riqueza.  Na sua primeira fala em português diante das autoridades o papa citou uma fala de Pedro nos Atos dos Apóstolos: não trago ouro nem prata, mas Jesus Cristo, mostrando assim que ninguém é o centro da vida cristã, mas o próprio Cristo.
A igreja com suas estruturas precisa ser uma igreja mais simples, mais humilde, mais servidora, como o papa tem sinalizado e vivido. Quando o papa chama a atenção dos carros utilizados pelos padres que devem ser simples, ele dá o exemplo ao não aceitar os carros oficiais do estado. Quanto mais a igreja foi humilde mais evangélica será. A forma mais concreta de anunciar o reino de Deus é pelo exemplo assim fez Jesus. Dei o exemplo para que vocês façam a mesma coisa. (João 13).
Depois desta jornada se espera que a juventude presente não a tenha como um momento de festa e de lazer, mas como um momento de formação e de comprometimento com suas igrejas locais.
Depois de um evento dessa natureza se espera uma religião mais comprometida com a vida e mais respeito para com o próximo; mais emprego, mais educação, para a juventude ainda analfabeta e escrava do trabalho; mais atenção aos jovens presos e dependentes das drogas sem tratamento algum; um país mais humano e mais solidário e fraterno; um país que de fato olhe para os pobres como agentes de transformação da própria historia e não como meros portadores de esmolas.
Se o povo brasileiro está encantado com as atitudes do papa, que possam seguir o seu exemplo, seu modo de pensar e de agir.
 Que os jovens da Jornada possam viver comprometidos com suas igrejas, sendo igreja, comprometidos com os demais jovens.



Nenhum comentário:

Postar um comentário