Pesquisar este blog

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Os Malefícios da Violência.




Temos acompanhado inúmeras transformações no mundo, em todas as dimensões da vida social, econômica e politica. O que causa preocupação e também tristeza é que no mundo não se consegue superar a violência: ela cresce sempre mais e novas formas. Ela persiste como ação coletiva e também no plano das relações interpessoais. A violência institucional é ainda é mais grave de todas.
Quem acessar na internet O Mapa da Violência, 2013, vai encontrar como em nosso estado, por exemplo, cresceu de forma assustadora o número de mortos a cada ano por arma de fogo.
Persiste a ideia de uma falsa segurança: se estou armado estou seguro. Pelo contrario, aquela arma é utilizada contra quem a possui.  Os seguranças de uma empresa quantas vezes perdem as armas e são até assassinados diante de um bando mais armado. Adolescentes e ate crianças que encontram uma arma em casa que ferem e até matam outras crianças. O acesso às armas é muito fácil. Mesmo que seja crime o seu uso sem o porte, ela é comercializada com a maior facilidade. Esse fato tem sido a causa de uma grande violência em todos os lugares do mundo. As tragédias nas escolas nos Estados Unidos, por exemplo, não existiriam se não existisse a facilidade para a aquisição de armas. Também nas residências e nas ruas de nossas cidades teríamos muito menos violências e menos assaltos se houvesse realmente um controle com a questão das armas. No entanto, essa situação existe e permanece por conta da movimentação financeira do trafico das mesmas.
Quanto mais nos armamos mais propensos para a violência nós estamos. A arma me deixa a impressão de ser superior aos outros, até sendo de brinquedo cumpre a função de dominar a outra pessoa.
Trata-se de uma realidade profundamente desafiadora. É necessário assimilar a ideia de que a arma não traz nenhuma segurança e nenhuma proteção. Se meu inimigo sabe que estou armado ele vem mais armado do que eu, vem para me vencer. Nessas circunstancias a arma não nos traz nenhum poder de força e de defesa.
A melhor arma contra a violência é a paz e a não violência. O outro não tem como justificar a sua força e a sua violência diante daquele que se apresenta sem arma e sem violência. Por isso se diz que toda ação gera uma reação e toda violência gera mais violência. O grande equívoco dos estados brasileiros e do mundo é este: vão combater a violência e acabam tornando-a maior. Isso é uma realidade visível. Todos nós temos experiências apresentadas na televisão de ações policiais extremamente violentas que nos põe dúvidas sobre o papel da policia. O uso da força necessária não significa o uso da violência. O mesmo acontece com as ações nas unidades prisionais. Carandiru se tornou um caso escandaloso para o mundo. Uma guerra entre os desiguais: uma guerrilha armada contra os rebelados é verdade, mas desarmados. Mais escandaloso é ouvir de um ex-governador que defende ainda hoje a ação sangrenta da policia de São Paulo.
 Na verdade, não há como justificar algo assim, nem por parte da policia nem de milícias armadas. A arma não tem justificativa.  A violência será sempre um atentado contra a vida.
As politicas de segurança pública, que ainda não existem, mas precisam ser fomentadas, terão que ser construídas no sentido deque possa construir a paz que consiste na abolição do uso das armas que não garantem a paz. Quem usa da violência se torna também vitima dela. A educação para a paz e a não violência precisa ser introduzida nos nossos currículos e na nossa cultura.


Nenhum comentário:

Postar um comentário