Pesquisar este blog

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

CATECUMENATO

Continuação do material sobre o RICA

II- O CATECUMENATO

Os simpatizantes admitidos ao catecumenato, agora candidatos à recepção dos sacramentos da iniciação cristã, serão chamados catecúmenos, se ainda não batizados, ou catequizandos se ainda lhes falta completar a iniciação (Primeira Comunhão e/ou Crisma), e começam um novo momento no seu processo de caminhada cristã.
“Para todos a catequese quer garantir uma formação integral, num processo em que estejam presentes a dimensão celebrativo-litúrgica da fé, a conversão para atitudes e comportamentos cristãos e o ensino da doutrina: é a inspiração catecumenal que deve iluminar qualquer processo catequético.”
Todos aqueles que iniciaram o catecumenato serão, agora, conduzidos por um catequista que os acompanhará durante esta etapa. No entanto, o vínculo que foi estabelecido com o seu introdutor não deve ser perdido.
No tempo do catecumenato os grupos podem ser organizadas de acordo com vários critérios: faixa etária, horários disponíveis, catequistas mais adequados aos grupos, etc., mas é fundamental que os não batizados formem um grupo distinto dos já batizados.
Para melhor acompanhamento, cada grupo não deve ter mais que 20 catecúmenos ou catequizandos.
Os encontros devem ter duração de 2 a 3 horas, no máximo, e ser orientados (ministrados) pelo catequista, com o máximo de recursos possíveis (audio-visual, dinâmicas de grupo) para uma maior apreensão do tema proposto e integração do grupo, levando à participação de todos, pois este é um período onde se procura solidificar um maior comprometimento com a fé e responsabilidade por parte dos catecúmenos/ catequizandos.

TEMAS DAS CATEQUESES

I - História da Salvação – Credo – Eu Creio, Nós Cremos

Início dos Tempos: Creio em Deus Pai
- Criação e pecado
- Patriarcas
- Exílio e libertação (Antiga Páscoa, Aliança e Mandamentos)
- Juízes e Terra Prometida
- Reis e a divisão de Israel
- Profetas e a vinda do Messias

Plenitude dos Tempos: Creio em Jesus Cristo
- A encarnação do Verbo – Maria, Mãe de Deus
- A pregação de João Batista
- O anúncio do Reino
- Discipulado e seguimento
- Anúncio da Paixão – subida à Jerusalém – Última Ceia
- Jerusalém – Paixão e Morte
- Ressurreição e Dom do Espírito Santo aos Apóstolos
- Ascensão e envio
Os últimos Tempos: Creio no Espírito Santo, Creio na Igreja Católica
- Pentecostes
- Missão dos Apóstolos
- Maria, Mãe da Igreja
- Igreja: luz dos povos
- Igreja: hierarquia, ministérios, carismas e serviços
- A Igreja no mundo de hoje
- Os Novíssimos

(Celebração de entrega do Credo somente para os catecúmenos, RICA, n. 181-187)[1]
Pendência: RICA 302 indica que pode ser entregue também aos já batizados

II – Liturgia – Celebrando a Nossa Fé

Introdução aos sacramentos - Jesus nos dá a vida de Deus
- Os sacramentos da iniciação cristã: Batismo, Crisma, Eucaristia
- Os sacramentos da cura: Penitência, Reconciliação, Unção dos enfermos
- Os sacramentos de serviço e comunhão: Ordem, Matrimônio 
-Liturgia da Missa
-As outras celebrações litúrgicas
- Os sacramentais
- Os funerais cristãos
- A última Páscoa do cristão
- A celebração dos funerais
-Ano litúrgico

III – Mandamentos - Vivendo a Nossa Fé

- Os 3 primeiros mandamentos(amor a Deus)
- Os 7 últimos mandamentos(amor ao próximo)
- O Mandamento do Amor
- Os Mandamentos da Igreja

IV – Oração Cristã

- A oração na vida cristã (Importância, expressões, formas e fórmulas da oração)
- A oração do Senhor: O Pai-Nosso
(Celebração de entrega do Pai Nosso somente para os catecúmenos, RICA, n.190-192)
PENDÊNCIA: (RICA 302 indica que pode ser entregue também aos já batizados).
Além destes temas, outros podem ser acrescentados, de acordo com as necessidades do grupo e o momento histórico-eclesial que vivemos, baseando-se no princípio metodológico da interação entre fé e vida.
É indispensável, também, a participação nas celebrações dominicais como indica o n. 107 do RICA.
Torna-se importante uma reunião mensal dos catequistas, para troca de informações sobre o desenvolvimento dos candidatos, além de espaço para planejamento, estudo e oração.
Sendo apostólica a vida da Igreja, aprendam também os catecúmenos (e catequizandos), pelo testemunho da vida e pela profissão da fé, a cooperar ativamente para a evangelização e edificação da Igreja”. Portanto, eles devem ser estimulados a participar das pastorais durante este tempo.


O Desenvolvimento da Catequese

Recomendamos que os encontros de catequese sejam concluídos ou iniciados com uma breve "Celebração da Palavra" como indicado no nº 100, com a finalidade de levá-los a uma maior participação no tempo litúrgico, a partir dos temas catequéticos desenvolvidos. PENDÊNCIA: Dá ideia de que são em todos os encontros. Como os catecúmenos e catequizandos e crismandos participam da Santa Missa, não seránecessário Celebração da Palavra em todos os encontros, além do mais, tal procedimento estenderia por demais os encontros. O número 100 diz que haja celebrações da Palavra, mas não em todos os encontros. Ver também 106-108.
Também é indicado que, ao final de cada encontro, lhes seja dado um versículo ou um trecho da Sagrada Escritura para que meditem e discutam no próximo encontro.
Ao final de cada catequese, o catequista, se for autorizado pelo pároco, poderá realizar no próprio encontro catequético, a oração de exorcismo e de benção, seguindo o modelo proposto pelos n. 101 e 102. Se oportuno for, estas duas ações (exorcismo e benção) podem ficar reservadas ao sacerdote para serem feitas aos domingos após a homilia da missa em que se encontrarem os catecúmenos. Estas ações são aplicáveis somente aos catecúmenos.
Durante o tempo do catecumenato, é recomendável que sejam promovidos dias de aprofundamento e convivência, retiros, horas santas, terços, para que os catecúmenos/catequizandos possam aprofundar na espiritualidade e convivência fraterna.
Durante este tempo, é importante que a família e os padrinhos também sejam envolvidos.


A escolha do Padrinho


Durante o tempo do catecumenato o catecúmeno escolherá o seu padrinho ou madrinha como indica o RICA, n. 104 e 299. O padrinho irá desempenhar o seu papel segundo o indicado no n. 43 do RICA.

Conclusão do Catecumenato – Rito da Eleição

Terminado o tempo correspondente ao período do catecumenato, os catequistas deverão perguntar a cada candidato se ele considera-se preparado e disposto a assumir o compromisso de uma preparação mais imediata para a iniciação sacramental. Depois, junto com o sacerdote, o grupo de catequistas avaliará se as disposições do n.134 e 137 foram alcançadas e chegarão a um consenso sobre aqueles que estão aptos para participarem do Rito de Eleição (Cf. n. 23 da Introdução, RICA).

Toda organização do Processo da Iniciação Cristã deve ser de tal forma disposta que favoreça ao máximo a coincidência do Rito da Eleição com o primeiro Domingo da Quaresma Cf. n. 133 e 139). Contudo, se o rito não for celebrado nesse domingo, conforme o indicado no n.140, a celebração do Rito da Eleição poderá ser feita em umoutro dia. Caso as leituras da missa do dia não forem adequadas, escolham-se outras indicadas para o Primeiro Domingo da Quaresma no próprio Lecionário Dominical. Pode-se, ainda, ser celebrada a missa ritual própria (Cf. n. 140 141). Lembramos apenas que torna-se necessária a exclusão ou adaptação dos textos e trechos que façam menção a Quaresma se o rito não estiver sendo feito no período imediatamente anterior a Quaresma.

O Rito começa após a homilia quando será feita a apresentação dos candidatos ao padre presidente da celebração. Esta apresentação deve ser feita tanto para o catecúmeno propriamente dito quanto para os já batizados na infância; contudo, para estes o texto precisa ser devidamente adaptado, trocando-se a frase “lhes seja permitido participar dos sacramentos do Batismo, da Confirmação e da Eucaristia” por “lhes seja permitido completar o seu processo de Iniciação Cristã participando dos sacramentos da Confirmação e da Eucaristia.” (Cf. n.143), seguindo-se o rito sem alterações.

Depois da celebração do rito sejam oportunamente anotadas em livro próprio os nomes dos catecúmenos, com a indicação do ministro, dos introdutores e dia e lugar da admissão” (RICA, nn. 17 e 22).




III- PURIFICAÇÃO E ILUMINAÇÃO


Este é o tempo de preparação imediata anterior à recepção dos Sacramentos. Para os catecúmenos, os não-batizados que se candidatam à Iniciação Cristã, este tempo deve ocorrer, na Quaresma. Para os catequizandos, candidatos à Eucaristia e Crisma, este tempo poderá ocorrer em outra época do ano litúrgico.
Nesse tempo, os que são catecúmenos se entregam ao recolhimento espiritual com a comunidade dos fiéis, a fim de se prepararem para as festas pascais e a iniciação nos sacramentos. Para isso lhes são proporcionados os escrutínios (Cf. n. 152). Em cada uma das celebrações, neste tempo, os catequizandos, acompanharão os catecúmenos em sinal de fraterna comunhão.
Os escrutínios tem a finalidade sobretudo espiritual, para se purificar os espíritos e os corações, fortalecer contra as tentações, orientar os propósitos e estimular as vontades, para que os catecúmenos se unam mais estreitamente a Cristo e reavivem seu desejo de amar a Deus (Cf. n. 154).
Os escrutínios são ao todo três, e devem ser celebrados nos 3º, 4º e 5ºdomingos da Quaresma por causa dos temas da Liturgia da Palavra destes domingos (é importanteque seja feito o uso dos textos do Ano A do Lecionário Dominical para estas celebrações, em favor dos eleitos). Recomenda-se que uma das missas dominicais seja escolhida para a cerimônia do escrutínio dos eleitos (Cf. nn. 157-159).

O rito começa logo após a homilia, conforme indica o n. 162 a 164. Com relação à saída dos eleitos mencionada no n. 165, fica a critério de cada comunidade estabelecer o costume ou não. Contudo, a saída não pode ser determinada para os que já foram batizados na infância.

Com o encerramento dos temas catequéticos, este momento se destina a uma intensa preparação espiritual. No Ano A, a liturgia dominical segue com os seguintes temas, a saber:
1° domingo: As tentações de Cristo: Mt 4,1-11 - Rito de Eleição
2° domingo: A Transfiguração do Senhor: Mt 17, 1-9
3° domingo: Cristo é água viva: Jo 4,1-42 (A samaritana) - 1° escrutínio
4° domingo: Cristo é a Luz do mundo: Jo 9,1-41 (Cura do cego de nascença) - 2° escrutínio

5° domingo: Cristo é a ressurreição e a vida: Jo 11,1-43 - 3° escrutínio
Quando o tempo da purificação dos já batizados não for possível se realizar na quaresma, pode-se, assim mesmo seguir a sugestão acima. Além de trabalhar os seguintes temas:

A vida nova em Cristo: Col 3,1-17 (O homem novo)

A vida no Espírito Santo: Rm 8,8-11

Os frutos da carne e os frutos do espírito (Gal 5,16-26) / Is 61,1-3 / Is 11,1-3
No caso dos catecúmenos, a recepção dos Sacramentos da Iniciação Cristã: Batismo, Crisma e Eucaristia, ocorre durante a celebração da Vigília Pascal, pelo próprio Pároco. Os já batizados poderão ter a data da Primeira Eucaristia e Crisma marcadas em outra época, de preferência durante o tempo pascal.


Rito de Preparação Imediata


Estes ritos são propostos para uma maior preparação, recolhimento e oração dos eleitos para a cerimônia do Sábado Santo, por isso devem ser feitos pela manhã. Todos os eleitos são chamados a participar. A celebração se inicia conforme o indicado no n.194. A cerimônia segue como está prescrita no livro do RICA até o "rito do Éfeta" no n. 202. Por razões culturais, omite-se a "escolha do nome cristão" (n. 203 ao 205). Logo após seja feita a "Unção pré-batismal" (Cf. 206-207 e 218), apenas nos eleitos que forem catecúmenos, conforme indicado nos n. 130-131. Terminada a unção opresidente despedirá a assembléia para o reencontro na celebração da Vigília Pascal.

A Celebração da Iniciação Cristã

A Celebração deverá seguir as instruções do RICA (Cf. 210-234) na Vigília Pascal. Destacamos apenas que os já batizados não deverão tomar parte em nenhum dos ritos batismais, a não ser juntamente com toda a assembléia na hora da renovação do batismo.


IV- A MISTAGOGIA.



Neste tempo os iniciados se reunirão com um catequista, para, de modo dinâmico e interativo, aprofundarem os elementos celebrados na cerimônia de iniciação cristã e desenvolverem mais intensamente a vida cristã que iniciaram.

Temas a serem desenvolvidos pelo grupo, sempre em paralelo com o Ano Litúrgico e suas celebrações:

Grupo A:
Quando a mistagogia ocorre no tempo pascal:
Primeira semana: A paz esteja convosco...(Jo 20,19-25)
Segunda semana: Felizes os que não viram e creram...(Jo 20,26-29)
Terceira semana: Fica conosco Senhor... (Lc 24,13-35)
Quarta semana: Minhas ovelhas ouvem a minha voz... (Jo 10,1-30)
Quinta semana: A videira e os ramos... (Jo 15,1-8)
Sexta semana:(Oração Sacerdotal) Confirma-nos na verdade...(Jo 17,1-26)
Sétima semana: Ide e pregai o evangelho... (Mt 28,16-20 / Mc 16,15-20 / Lc 24,46-53)
Grupo B:
Quando o tempo da mistagogia não for possível se realizar no tempo pascal, pode-se assim mesmo, seguir a sugestão acima, além de trabalhar os seguintes temas:

A importância dos carismas - Vocação do cristão :Rm 12,3-13 / 1Cor 12,4-11)

A Igreja no mundo - A evangelização inculturada: Serviço, diálogo, anúncio, testemunho de comunhão

A vocação como dom de Deus

Ser cristão é ser missionário (Mt 28,16-20).

Organização: Pe.Bosco.
4

Nenhum comentário:

Postar um comentário