Pesquisar este blog

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Crianças e Adolescentes




No Brasil aconteceu a Jornada Mundial da Juventude. Os reais problemas não apareceram na jornada, mas continuam como grandes desafios para a sociedade brasileira. O que estamos fazendo em prol das nossas crianças e jovens. Como dizia o papa Joao Paulo, o futuro da humanidade passa por nos e por nossas famílias. Eles serão aquilo que estamos lhes oferecendo.
Recentemente podemos ver em rede nacional o trabalho infantil no Rio Grande do Norte no trabalho da castanha, com horas intensas de trabalho e pouco salario. O trabalho escravo, o trafico humano, a exploração sexual, a prostituição infantil, o analfabetismo, as prisões superlotadas de jovens, são algumas das situações que marcam a vida de nossos jovens.
As drogas estão presentes em todas as partes do mundo e atingem a todas as camadas da sociedade, com particularidade a nossa juventude e dela, das drogas, nossos jovens estão sendo vitimas e se dizimando. O estado como instituição não tem dado respostas que salvam, nem na prevenção nem no combate ao trafico. Aquilo que é apreendido é uma gota de agua no oceano.
O Plano Juventude Viva lançado recentemente em nosso estado sobre o qual ainda não tenho conhecimento, mas tenho medo desses planos ou projetos que surgem, mas depois se perdem com a descontinuidade. O mesmo traz um enorme elenco relacionado com a saúde, educação, cultura etc. Lamentamos que na sociedade em que vivemos existe em tudo uma imensa instabilidade. Tudo passa pelo provisório, pelo descartável e pelo imediato. Por isso nos faltam ações de estado e somos obrigados a conviver com ações de governo que mudam a cada circunstância politica. Sofre com essa politica a população de modo geral, mas os pobres são as vitimas desse modelo do descartável do qual eles fazem parte. A impressão é de que precisamos sempre inventar a roda.
Situações dessa natureza deixam a desejar na relação com a nossa juventude cheia de alegria, de esperança e vida, mas muitas vezes desestrutura por conta de nossas ações fragmentadas.
Diante de tudo isso permanece o desafio da família para lidar com as imensas dificuldades relacionadas com a sobrevivência e necessidades de seus adolescentes e jovens.
“Em sua visita o papa colocou muita esperança na juventude sobre o seu potencial, mas tudo isso precisa ser vivenciado no dia a dia de cada família e cada comunidade para ter efetivação.
Ele afirmou que a evangelização é um dos caminhos para "derrubar as barreiras do egoísmo, da intolerância e do ódio" e incentivou os presentes a "construirem um novo mundo".
"Queridos jovens, regressando as suas casas, não tenham medo de ser generosos com Cristo, de testemunhar o seu Evangelho. (...) Levar o Evangelho é levar a força de Deus para extirpar e destruir o mal e a violência; para devastar e derrubar as barreiras do egoísmo, da intolerância e do ódio", afirmou Francisco.
Pedindo à juventude católica que siga no sentido de "construir um novo mundo", o pontífice disse que a Igreja precisa "do entusiasmo, da alegria e da criatividade" dos jovens. "Jesus Cristo conta com vocês, a Igreja conta com vocês, o papa conta com vocês", disse Francisco.
Já no início de sua mensagem, o papa disse aos presentes que "foi bom" participar do encontro com os jovens dos "quatro cantos da Terra", mas que agora essa juventude deve transmitir aos demais a experiência que teve no Rio de Janeiro.
Francisco dividiu sua homilia em três mensagens principais, definidas por ele como "três palavras".


pebosco@yahoo.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário