Pesquisar este blog

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Ex-vice-presidente dos EUA: tortura ajudou a achar Bin Laden



Publicado em 9 maio, 2011 // Comente esta notícia O ex-vice-presidente americano Dick Cheney defendeu neste domingo os métodos violentos de interrogatório colocados em prática durante o governo de George W. Bush com os suspeitos de terrorismo, uma semana após a morte de Osama Bin Laden em uma operação dos EUA.
Em uma entrevista à rede de televisão Fox News, Cheney lembrou que vários funcionários do governo Bush garantiram que “alguns dos primeiros indícios” – que depois permitiram encontrar o paradeiros do líder da Al-Qaeda – derivaram das informações dadas por suspeitos de terrorismo submetidos à “simulação de afogamento” ou “submarino”, considerada tortura pela CIA.
“Todos disseram de uma maneira ou de outra que o programa de interrogatórios violentos desempenhou um papel”, acrescentou. “Meu sentimento é que provavelmente isto contribuiu, assim como outros fatores”.
Quando perguntado sobre a possibilidade de voltar a pôr em prática estes métodos – proibidos pelo presidente Barack Obama um dia após chegar à Casa Branca – caso os EUA capturem um suspeito chave de terrorismo, respondeu: “Sim, defenderia que voltassem a colocá-los em prática”.

CIA admite interrogatório “coercitivo”
O diretor da agência de inteligência americana (CIA), Leon Panetta, já havia admitido anteriormente que informações obtidas pelos detidos nas prisões secretas da CIA mediante a polêmica técnica de “afogamento simulado” ajudaram a traçar o plano que acabou com a vida de Osama bin Laden. Em entrevista à TV NBC, Panetta disse que as pistas que levaram os serviços de Inteligência a encontrarem o esconderijo do líder da Al-Qaeda vieram de “muitas fontes”, e não só dessa técnica de interrogatório.
“Neste caso, as técnicas de interrogatório coercitivas foram usadas contra alguns desses prisioneiros. Quanto ao debate sobre se poderíamos ter obtido as mesmas informações por outros meios, acho que esta sempre será uma questão em aberto”, disse na entrevista à TV americana.
O “afogamento simulado” consiste em amarrar um pedaço de pano ou plástico na boca do prisioneiro e, em seguida, derramar água sobre seu rosto. O detido começa a inalar água rapidamente, causando a sensação de afogamento.

Osama bin Laden é morto no Paquistão
No final da noite de 1º de maio (madrugada do dia 2 no Brasil), o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou a morte do terrorista Osama bin Laden. “A justiça foi feita”, afirmou Obama num discurso histórico representando o ápice da chamada “guerra ao terror”, iniciada em 2001 pelo seu predecessor, George W. Bush. Osama foi encontrado e morto em uma mansão na cidade paquistanesa de Abbottabad, próxima à capital Islamabad, após meses de investigação secreta dos Estados Unidos .
A morte de Bin Laden – o filho de uma milionária família que acabou por se tornar o principal ícone do terrorismo contemporâneo -, foi recebida com enorme entusiasmo nos Estados Unidos e massivamente saudada pela comunidade internacional. Três dias depois e ainda em meio resquícios de dúvidas sobre o fim de Bin Laden, a Casa Branca decidiu não divulgar as fotos do terrorista morto. Enquanto isso, Estados Unidos e Paquistão debatem entre si as responsabilidades e falhas na localização do líder da Al-Qaeda.
Com informações da agência EFE..

Nenhum comentário:

Postar um comentário