Pesquisar este blog

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Caminhos da violência.

A violência cresceu tanto e ganhou tantas formas de se manifestar que parece sem controle, tamanha é a capacidade de se praticar o mal. Antes se pensava que a violência era proveniente das favelas. Hoje ela se manifesta em todos os ambientes. Onde estão as pessoas com boas condições financeiras também acontece a pratica da violência. Os bens servem como motivação para a prática da violência.Não temos tido em nossa sociedade uma educação para o coletivo e para o respeito ao outro e suas diferenças. Assim prevalece a indiferença e o individualismo que destrói o principio do respeito e do cuidado pelo outro. Hoje se mata como nunca com a maior tranquilidade e nada acontece.
As noticias em João Pessoa nos dão conta de que temos em torno de 1.500 inquéritos policiais em total abandono que certamente serão arquivados, segundo informação, pela falta de estrutura e de motivação de policiais para o trabalho. Esta situação gera a certeza da impunidade e o aumento da violência.
Quem diria que a escola se tornasse um lugar de violência? Muitos professores até abandonam a profissão por serem ameaçadas em sala de aula. Os pais já não mais educam em nada e a escola se tornou inviável em algumas situações por causa das drogas e das armas. Um estudante da USP em São Paulo tinha um carro blindado mas foi assassinado dentro do estacionamento enquanto se aproximava do carro para sair. A segurança e a policia militar, na área, para fazer a segurança e não se deu conta do que aconteceu.
E o que dizer sobre o transito?
O aumento imediato do numero de veículos em nossa capital tem causado muitos transtornos aos motoristas. O problema maior, no entanto não é este, mas a maneira como certos motoristas se comportam: violentos, ignorantes, desrespeitosos, impacientes e atrasados. Não se cumpre horário e, depois, se quer fazer milagre sem condições para chegar ao destino em tempo hábil. Pelo que se tem apresentado sobre o DETRAN do nosso estado, muitos motoristas estão dirigindo despreparados. Maus funcionários do DETRAN facilitaram a distribuição de carteiras de motorista sem que os condutores tivessem a formação necessária.
Neste mesmo item a situação das motos é muito grave. O maior número de pessoas acidentadas e mortas são vitimas de motos. Os motoqueiros são ousados e desafiam, em duas rodas, a lei da própria física. Por isso, pagam com a própria vida. Sem uma boa educação e os devidos cuidados, esta situação tende a se agravar muito mais, com muitas mortes. Muitas vezes estas pessoas não são habilitadas e desrespeitam o que existe de mais básico e fundamental: o capacete que anda no braço e não na cabeça.
Uma mudança depende não só dos órgãos do estado na fiscalização e no disciplinamento, mas de cada família e de cada pessoa, que deve pensar em si e em sua vida como também no outro e em sua situação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário