Pesquisar este blog

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Situação do Brasil.

Muito se tem propagado sobre o crescimento do Brasil. É verdade que aconteceram grandes mudanças nos últimos anos não só no nosso país, mas no mundo e, em conseqüência, também por aqui. Também é verdade que as grandes e necessárias mudanças não acontecem. O Brasil precisa de uma ampla reforma na área política, na área social, na questão fundiária e na área judicial. Agora se discute o limite da propriedade em meio a uma grande reação da classe rica por que jamais abrirá mão do seu patrimônio.
Por que estas mudanças não acontecem? O jornalista Hamilton Otavio de Souza lembra: “os projetos de lei que ampliam direitos, reduzem as desigualdades e aperfeiçoam o sistema democrático são congelados ou derrubados por deputados e senadores”. Isso acontece pelo fato de estarem em jogo os interesses da burguesia da qual fazem parte os nossos representantes. Não podemos também nos esquecer que os nossos representantes votam com urgências seus interesses e interesses da burguesia. Nós temos na maioria o que existe de mais reacionário no país. Por isso, precisamos acabar a falsa ilusão de que o Brasil está numa das melhores situações.
Nas ultimas eleições de 2010, escutamos um discurso orquestrado sobre bolsa família, bolsa Natal, etc. por que isso? Exatamente pelo fato de serem doações que não comprometem o estado. Trata-se na realidade de uma esmola do estado para os pobres num momento de festa. Assim, o gestor passa-se por bonzinho para o povo. O emprego, o salário e a educação vão tornando o povo mais esclarecido e independente e isso não são interessantes para quem governa. O mesmo também acontece com os períodos de seca e enchentes. Nenhum estado vai criar estruturas para resolver estas situações. Temos a indústria da seca e das enchentes para arrecadar fundos que não são aplicados devidamente
Discute-se a liberdade de imprensa que tem um papel de fundamental importância na vida social, mas infelizmente a imprensa não é livre. Como ela está sempre ligada a grupos e empresas, o profissional da imprensa se tem uma ideologia própria não pode manifestá-la. Ele é obrigado a manter a ideologia do sistema do qual faz parte como condição para lá permanecer. Isso é muito comum em nossa realidade. O profissional hora está em um veiculo e hora em outro por causa daquilo que cada veiculo vai defendendo.
Outro fato que mostra a falta de abertura e de espírito democrático em nosso país foi por ocasião do Plano Nacional de Direitos Humanos 3 sobre a ditadura dos anos 64-85. O plano previa uma investigação e punição aos torturadores. A reação fez com que o presidente da Republica não enfrentasse o problema. Lucia Rodrigues, da Revista Caros Amigos faz a seguinte observação: “Vários integrantes dos órgãos de repressão da ditadura militar ocupam cargos públicos atualmente”. Para Lucia, alem da impunidade, a repressão continua e se apresenta de varias formas como também o serviço de infiltração de agentes policiais nos movimentos sociais é uma pratica comum.
Tem sido muito comum aparecerem os que foram torturados e até tiram proveito da situação por estarem também em lugar de destaque nos serviços estatais. Por outro lado o próprio estado mantém e esconde os torturadores.
Assim podemos perceber o quanto precisamos crescer. O que fere profundamente a vida do nosso país é a desigualdade e a distancia entre pobres e ricos.

pebosco

Nenhum comentário:

Postar um comentário