Pesquisar este blog

sábado, 26 de fevereiro de 2011

CF 2011 Edmilson Trindade

01. INTRODUÇÃO
- Tema: Fraternidade e a vida no planeta

- Lema: A criação geme em dores de parto (Rm 8,22).

- Objetivo Geral: Contribuir para a conscientização das comunidades cristãs e pessoas de boa vontade sobre a gravidade do aquecimento global e das mudanças climáticas, e motivá-las a participar dos debates e ações que visam enfrentar o problema e preservar as condições de vida no planeta.

- Objetivos Específicos: - Viabilizar meios para a formação da consciência ambiental em relação ao problema do aquecimento global e identificar responsabilidades e implicações éticas. - Promover a discussão sobre os problemas ambientais com foco no aquecimento global. - Mostrar a gravidade e a urgência dos problemas ambientais provocados pelo aquecimento global e articular a realidade local com o contexto nacional e planetário. - Trocar experiências e propor caminhos para a superação dos problemas ambientais relacionados ao aquecimento global.

- Estratégias: - Mobilizar pessoas, comunidades, Igrejas, religiões e sociedade para assumirem o protagonismo na construção de alternativas para a superação dos problemas socioambientais decorrentes do aquecimento global. - Propor atitudes, comportamentos e práticas fundamentados em valores que tenham a vida como referência no relacionamento com o meio ambiente. - Denunciar situações e apontar responsabilidades no que diz respeito aos problemas ambientais decorrentes do aquecimento global.

 

02. A PROBLEMÁTICA AMBIENTAL

- O atual aquecimento global e as mudanças climáticas em curso não são um desastre natural, foram causados por homens, ao desenvolverem um sistema econômico que agride a vida no e do planeta, e já sacrificou muitas vidas, espécies e ecossistemas. O aquecimento global e as mudanças climáticas exigirão mais sacrifícios dos mais pobres e menos protegidos.

- O IV Relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), de 2007, afirma que o planeta Terra está aquecendo desde 1750, período que coincide com a implantação do sistema industrial em muitos países. O Painel do Clima relaciona o aquecimento global diretamente ao aumento progressivo de emissão de gases de efeito estufa [dióxido de carbono / metano / óxido nitroso] com o processo de industrialização, além de outras fontes de emissão, como derrubadas e queimadas de florestas. As estimativas apontam que 50% das emissões de gases de efeito estufa no Brasil são resultantes de ações de desmatamento e queimadas.

- Alguns encontros internacionais sobre a questão ambiental foram realizados, dentre os quais citamos: * Conferência de Estocolmo [1972] – propôs uma abordagem ecodesenvolvimentista segundo a qual o processo de desenvolvimento exige equacionar eficiência econômica, equidade social e equilíbrio ecológico; * ECO 92 – procurou buscar meios de conciliar o desenvolvimento socioeconômico com a conservação e proteção dos ecossistemas da Terra; * Protocolo de Kyoto [1997] – discutiu providências para se controlar o aquecimento global; * Conferência das Nações Unidas sobre a Mudança Climática [2007, em Bali, na Indonésia] – refletiu sobre as bases das negociações para um novo acordo que substitua o de Kyoto.

- Há muitos indicadores que mostram a aceleração do aquecimento: * as geleiras das montanhas e as coberturas de neve estão diminuindo; * as lâminas de gelo da Groenlândia e da Antártida estão derretendo em alguns pontos; * o nível do mar continua a subir; * a temperatura média do oceano está aumentando; * as secas estão mais longas e mais intensas e afetam áreas maiores; * as chuvas está mais pesadas e provocam graves enchentes.

- O crescimento econômico e a vida em sociedade baseados na industrialização capitalista e socialista foram alavancados pelas fontes energéticas não renováveis, como os combustíveis fósseis, que emitem grandes quantidades de CO2 e vapor de água, dois dos principais responsáveis pelo efeito estufa.

- O sistema produtivo, denominado agronegócio, não se mostra preocupado com o meio ambiente: desmata impiedosamente; é a atividade que desperdiça e consome 70% da água doce utilizada no mundo; os seus fertilizantes contaminam lagos e rios. (No Brasil, mais de 70% dos alimentos são produzidos pela agricultura familiar camponesa e não pelo agronegócio.)

- O sistema econômico neoliberal globalizado é altamente concentrador e gerador de disparidades. Este processo é resultante da busca pelo lucro, sem preocupação com o ser humano ou com os problemas de ordem ambiental.

 

03. ILUMINAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS

- Através da Bíblia, Deus nos chama a ter atitudes justas para cuidarmos bem da vida, pois o nosso Deus é o Deus da vida. A Bíblia inicia mostrando a vitória de Deus sobre o caos, organizando o cosmos e revelando-se como doador da vida (Gn 1-2,4a). O Salmo 8 indica que o ser humano foi criado de modo especialíssimo no reino da criação.

- João Paulo II (Redemptoris Dominis,n.15) levantou a seguinte questão: Todas as conquistas alcançadas até agora, bem como as que estão projetadas para o futuro, estão de acordo com o progresso moral e espiritual do homem?

-Comer da árvore não recomendada (Gn 3,10-24) significa que as pessoas se fazem dominadoras, instalam um sistema destruidor, e na condição de senhores e senhoras do bem e do mal, acabam destruindo tudo, inclusive a si mesmos, instalando um conflito no lugar de uma solidariedade. O descanso de Deus, no sétimo dia da criação (Gn 2,2a), se reveste de grande importância. Neste dia, o homem e a mulher devem aprofundar o sentido autêntico da criação e perceber-se criação de Deus. O domingo, dia festivo cristão, não somente antecipa o descanso do final dos tempos, mas indica o início da nova criação.

- Na Bíblia, encontramos algumas indicações sobre o respeito que o povo de Israel devia nutrir para com os seres da natureza: 1) o cuidado com as aves [Dt 22,6-7]; 2) o cuidado com as árvores [Dt 20,19-20]; 3) o cuidado com a limpeza do acampamento [Dt 23,13-15]; 4) o cuidado para evitar o desperdício [Ex 16,15-20]; 5) o cuidado para evitar a concentração de bens e poder [Nm 26,53]; 6) o cuidado com o descanso da terra [Ex 23,1011]; 7) o cuidado com a justiça social [Lv 25,23].

- Jesus ensina-nos a rejeitar: a tentação de mudar a finalidade da natureza em benefício próprio, sem respeitá-la [Mt 4,3]; a tentação de usar Deus em benefício próprio (Mt 4,5-6]; e a tentação de submeter-se às riquezas.[- No livro dos Provérbios (Pr 30,7-9], o sábio reza para que tenha o suficiente para viver e não mais do que isso. Diversos textos bíblicos trazem um louvor à criação, vendo nas manifestações da natureza sinais da sabedoria, do poder, da grandeza do Criador (Dn 3,57-58; Sl 8; Sl 104).

- João Paulo II (Exortação Pós-Sinodal de 2003) disse: Há necessidade de conversão ecológica, para a qual os Bispos hão de dar a sua contribuição ensinando a correta relação do homem com a natureza.

- Bento XVI (Pronunciamento na abertura da Conferência de Aparecida) disse: Com muita freqüência se subordina a preservação da natureza ao desenvolvimento econômico, com danos à biodiversidade, com o esgotamento das reservas de água e de outros recursos naturais, com a contaminação do ar e a mudança climática.

- A Assembleia Ecumênica Mundial, realizada em Seoul (Coreia) – de 05 a 12 de março de 1990, afirmou: Cada vida é sagrada porque a criação é de Deus e a bondade de Deus a permeia completamente.

- São Francisco, para quem todas as criaturas eram irmãs e irmãos, é hoje um modelo para os que buscam uma relação mais qualitativa em relação às criaturas. Ele soube contemplar e valorizar as coisas pelo que eram e pelo valor mais profundo que apresentavam como criaturas de Deus.

 

04. PROPOSTAS DE AÇÃO

- Resgatar o sentido do domingo, libertando-se das exigências de produção capitalista ininterrupta.

- Quantificar o consumo e a emissão de gases de efeito estufa a nível pessoal.

- Lutar pela melhoria do meio ambiente da cidade.

- Refletir sobre a temática da CF-2011 nas comunidades, escolas, entidades, etc.

- Promover o uso de energias alternativas denominadas limpas.

- Evitar o desmatamento desmedido.

- Pressionar o governo para não efetivar as alterações propostas ao atual Código Florestal de nosso país, pois elas vão dar margem a novos crimes ambientais.

- Mobilizar a população em favor da recriação de áreas de floresta.

- Favorecer a pequena produção camponesa em vez do agronegócio.

- Cultivar canteiros nos quintais ao invés de cobri-los de concreto.

- Desenvolver políticas públicas preventivas e de superação de situações de risco.

 

05. MENSAGEM

- O cuidado com o ambiente pode e deve ser hoje uma resposta ao amor redentor de Deus. Com o Criador podemos e devemos ser cuidadores, criadores e mantenedores, ajudando a salvaguardar o direito e a dignidade de vida das gerações futuras.
 


FONTE

TEXTO-BASE DA CF 2011

EDIÇÕES CNBB
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário