Pesquisar este blog

terça-feira, 14 de junho de 2011

No mundo das drogas

A droga tem sido o grande problema deste século. As famílias com seus membros se tornam reféns do problema. A vida vai sendo tiradas de muitas formas, mas todas tem como causa a droga no sentido mais amplo possível. O próprio vício, o acerto de contas, a violência no transito, entre outras.
Tudo começa com a curiosidade de experimentar: o cigarro, a bebida e depois as drogas mais pesadas. Depois do uso vem a dependência; depois dela um grande sofrimento até que a pessoa aceite que é dependente e precisa de uma intervenção externa acompanhada da própria vontade.
O nosso povo ainda não sabe lidar com a temática da droga por fazer uma leitura errônea: você bebe ou usa tal droga de ruim que é. É falta de vergonha. Esta leitura faz com que cresça sempre mais a apatia e o vicio.
O estado perdeu o seu poder de força tanto para o vicio como para o trafico. As invasões nas favelas não levam a nada. Muitas vezes as pessoas infiltradas levam a noticia antes que a policia chegue. Além do mais, a droga não é só uma questão de policia, mas de justiça e de oportunidade de vida. Já a dependência é uma questão de saúde publica que o estado não cuida. As três prioridades do estado: saúde, educação e segurança são exatamente as que são relegadas a segundo ou terceiro plano. Em 2006 foi criada a Lei 11.343 que previa encaminhar os dependentes para o tratamento. Como Lei em nosso país não se cumpre, as pessoas dependentes estão indo para os presídios que estão superlotados.  Eles os presídios refletem a incompetência da nossa sociedade e de nossas instituições. Estamos condenados ao fracasso.
Hoje no Brasil, a droga está por trás de cada pessoa presa. Se ela era usuária, começou a praticar outros crimes para manter o vicio e terminou na prisão. Não existe nenhuma prisão no Brasil que não seja abastecida pela droga. Assim, quem foi preso por um motivo banal e nunca sequer viu a droga, na prisão ela tem oportunidade para usar. A prisão serve ao menos para isso e para a prática de outros crimes. Já se chegou à conclusão que a prisão é a universidade do crime mantida pela sociedade, pelo estado e pelo judiciário.
Os únicos espaços terapêuticos espalhados pelo Brasil são as Fazendas da Esperança que não estão ao alcance de todos. Frequentar a Fazenda da Esperança requer uma boa situação econômica para pagar as despesas. Os pobres, se não tiverem padrinhos ou madrinhas jamais sairão das drogas.
O que fazer? Os países precisam buscar respostas para os seus problemas. Cada momento da historia contem seus desafios. Eles devem ser enfrentados com competência e com inteligência. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso está defendendo a descriminalização das drogas. Não será um caminho a ser percorrido e assumido? Creio que sim!

Nenhum comentário:

Postar um comentário