Pesquisar este blog

sábado, 10 de março de 2012

Quaresma (2012

Depois do carnaval vamos iniciar o tempo da quaresma com a celebração das cinzas. O que chama a nossa atenção no tempo quaresmal?  Trata-se de um momento de 40 dias que nos faz pensar o tempo em que o Povo de Israel passou pelo deserto, saindo da escravidão do Egito para a terra prometida. Deus quis purificar o seu povo através de um longo caminho para que pudesse chegar a uma nova mentalidade.
Relembramos também o tempo refeito por Jesus durante 40 dias  no deserto depois de batizado por João no rio Jordão.
O povo que caminhou não conseguiu superar os obstáculos e vícios, isto é, não se libertou o tanto quanto Deus esperava. Jesus, ao contrario, que é o novo Adão, o novo povo e o novo Moises, conseguiu vencer todas as tentações e provações, saindo inteiramente vitorioso, para mostrar assim a toda humanidade que é possível seguir e vivenciar o caminho da fidelidade a Deus. O livro do Êxodo é exatamente o texto que descreve todo esse caminho do povo. Nele está manifesta a fidelidade de Deus para com o seu povo, apesar da infidelidade do povo para com o seu Deus.
Para os nossos dias, o tempo da quaresma deve ser vivenciado como um grande momento de avaliação da nossa vida. Como se sabe, até as casas de comercio fecham para um balanço. Isso ocorre muitas vezes em momentos específicos como final de ano, ou outros que se ache oportuno. Assim, o ser humano tem necessidade de rever seu caminho, para identificar falhas, corrigir defeitos e estabelecer metas.
Como vivemos em um grande barulho ao nosso redor e dentro de nós, o tempo quaresmal deve ser para um momento de olhar as ações em torno da exterioridade e da vida interior. É tempo de corrigir os acidentes de percurso e reorganizar o rumo a ser seguido. Cada pessoa, no seu ritmo e dentro de sua estrutura, verá como cumprir um programa que atenda a esta demanda. Quem não é capaz de parar, avaliar, reconhecer e tomar um novo caminho também não será capaz de crescer. Como o ser humano é algo em constante movimento, morre antes quem não trilha o seu caminho.
Estamos também habituados a pensar a quaresma como tempo de perdão. De fato, não se vive um momento novo, de pascoa e ressurreição, com uma divida da qual não se consegue se livrar. A exemplo de Deus que perdoa infinitamente ao seu povo, cada pessoa é chamada a trabalhar em sua vida o tema do perdão.
Anda intimamente ligo ao perdão o tema da reconciliação. Se de um lado o perdão parece uma atitude teórica, a reconciliação é a concretização de uma vida perdoada.
A reconciliação é também o caminho para uma vida fraterna e comunitária. Uma pessoa será sempre uma ameaça para a outra quando não existe uma vida reconciliada. Além do mais, também temos que nos reconciliar com a nossa vida pessoal e com a nossa historia. Ao longo da nossa vida cada pessoa vai realizando ações que não deveriam acontecer e que contrariam sua própria vontade e a vontade de Deus. Todas as pessoas, na realidade, passam pela experiência de fazerem ou dizerem o que não deveriam. Depois dos fatos, o que fazer? Temos que ter misericórdia não só com os outros, mas cada pessoa consigo mesma, para se reconciliar com a sua historia e com seus sofrimentos. Quem assim não proceder sofrerá infinitas vezes e até poderá sofrer para o resto da vida. Esta reconciliação não significa esquecer ou fazer de conta que nada de grave aconteceu. Significa restabelecer a paz com os outros, sempre que possível, consigo e assumir o compromisso de uma vida reconciliada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário