Pesquisar este blog

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

O nosso Natal com Jesus

O natal é o maior acontecimento que a humanidade já pode presenciar em toda sua historia, (juntamente com a ressurreição), exatamente porque se trata da presença de Deus da forma mais surpreendente possível. A palavra que estava com Deus na criação, agora passa a ser presença entre nós. O verbo se fez carne.

Desde os tempos mais antigos da revelação de Deus, a humanidade aguardava um salvador, jamais da maneira como ele apareceu. Ninguém se dispôs a acolhê-lo, por isso, o seu nascimento aconteceu em uma cocheira, na total escuridão da noite. Ele assim chegou de mansinho sem que percebessem a sua presença. Alguém poderia nascer mais pobre do que ele? Ele vai dizer depois que os animais possuem as tocas, mas não tinha onde reclinar a cabeça. Não tinha onde nascer e não teve onde morrer: passou entre a cocheira e a cruz.

O natal tem uma finalidade muito especifica. Jesus que falara desde os povos antigos de muitos modos, nos falou recentemente como diz o apostolo Paulo, através de seu filho. O natal é o grande momento através do qual Deus vai se revelando para toda humanidade. Ele ao longo dos evangelhos vai tornando conhecida a realidade de Deus para nós.

Ao nascer Jesus, a salvação de Deus se torna visível. A humanidade se for capaz de aderir à sua pessoa e ao seu ensinamento poderá ser salva. Nunca a salvação se tornou tão visível e tão próxima. A salvação compreendida em duas direções ou forças que devem ir uma ao encontro da outra. Deus se aproxima de toda humanidade para que a humanidade também se decida e vá ao seu encontro.

No natal Deus se confraterniza conosco para que também nós nos confraternizemos com Ele através do encontro que devemos realizar com todos dos quais devemos nos aproximar. Assim, celebrar o Natal é superar as distancias e barreiras, assumindo a mesma atitude de Deus ao se aproximar de cada um e cada uma de nós.

O nascimento de Jesus tem dimensão universal. Ninguém pode e nem consegue detê-lo. É como se Deus derramasse para a terra inteira uma chuva imensa de bênçãos.

Não podemos nos esquecer, no entanto, que Deus tem as imensas características de mãe que jamais se afasta do filho ou filha mais fragilizado (a). Assim Deus tem uma grande afeição pelos pobres. Desde o Antigo Testamento, Deus manifesta o cuidado e zelo pelo órfão, pela viúva e pela pessoa estrangeira. Assim, o mesmo se vislumbra no Natal de Jesus.

Como as portas foram fechadas para Ele, Deus manda o anjo dar a noticia aos pobres e discriminados pastores que passavam a noite no campo acompanhando a pastagem do rebanho. A alegria foi imensa quando os mesmos puderam verificar, in loco, aquilo que o anjo lhes anunciara.  Ficaram maravilhados quando encontraram a criança com José e sua mãe.

Para muitas pessoas o Natal já passou. Na verdade ele continua até nove de janeiro em nossa liturgia e deverá ser eterno em nosso coração e em nossas atitudes. Devemos renascer a cada momento de nossas vidas para o serviço de Deus no serviço do todo e qualquer ser humano.

Natal é poder se aproximar, conhecer, amar, seguir e servir a Jesus, assumindo as suas atitudes no hoje de nossas vidas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário