Pesquisar este blog

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Construir a Paz pela Justiça

“O ano termina e começa outra vez”. Estamos nos primeiros dias do ano que se inicia e o chamamos de ano novo.
O primeiro de janeiro é cheio de simbolismo para nós cristãos. É celebrado como o dia Mundial da Paz. Este dia foi criado pelo O papa Paulo VI em 1968. A partir de então, todos os anos o papa envia ao mundo uma mensagem que é lembrada em todas as igrejas. Foram onze mensagens de Paulo VI vinte e sete de Joao Paulo II e sete de Bento XVI.

Neste ano o papa dedicou aos jovens a sua mensagem com o tema “educar os jovens para a justiça e para a paz”. Exatamente porque não se separam paz e justiça, assim também como justiça e amor devem obrigatoriamente estar juntos.

O que encontramos em dicionários?

Paz . [Do lat. pace.] S. f. 1. Ausência de lutas, violências ou perturbações sociais; tranquilidade pública; concórdia, harmonia: O respeito às leis assegura a paz de uma comunidade. 2. Ausência de conflitos entre pessoas; bom entendimento; entendimento, harmonia: Vive em paz com os vizinhos e colegas. 3. Ausência de conflitos íntimos; tranquilidade de alma; sossego: Goza de paz absoluta. 4. Situação de um país que não está em guerra com outro: Grandes são os benefícios das épocas de paz. Por estas definições se percebe um desejo superficial que não corresponde ao sentido profundo da expressão utilizada pela bíblia.

Portanto, a paz não pode ser um simples desejo, como também não é um estar bem consigo; também não é aquela paz de cemitério. Quase sempre quando se pensa e se reza pela paz se pensa no próprio bem estar e na segurança pessoal (a própria família).

Em todo o antigo Testamento, na historia do povo de Deus, a paz é a realização completa do ser humano, pois para isso ele foi criado.

A palavra Shalom, tao utilizada muitas vezes sem a real compreensão, como diz Eva Michel, trata-se de algo que “engloba todos os âmbitos da vida, neste sentido ela tende a ser universal.”  E ainda, “ Shalom aplica-se a todas as relações de uma pessoa: a sua relação consigo própria, com a sua família, com a sociedade mais ampla de que faz parte, com a natureza, com Deus.” Assim pudemos perceber as dimensoes que a paz pode nos trazer como um forte apelo para a nossa vida.

Quando acontece uma ocupaçao policial em algum local considerado violento, tudo fica mais destruido do que estava, mas se escuta dizer que houve um trabalho de pacificação. Será podemos assim considerá-lo pelas definiçoes de paz?

Onde não existe a alimentação, a saude, a educação, o lazer, a liberdade, a justiça, jamais pode haver paz. A paz será sempre um fruto da justiça. A justiça trará as melhores condiçoes de vida para todos.

Será que podemos falar em paz de Deus e paz do mundo? Os dualismos muito nos atrapalham. Se o mundo é de Deus, a paz do mundo é a paz que Deus deseja e quer para toda humanidade. Sem esquecer que a paz de Deus é aquela que devemos construir nas nossas relações. Parece ser clara a mensagem de Jesus. Bem aventuradas nao sao as pessoas que vivem em paz, mas aquelas de promovem, isto é, que fazem com que a paz aconteça. Assim, mesmo que ela exista, deve ao mesmo tempo se tornar um vir a ser. Quando Jesus diz que não veio trazer a paz, mas a espada, o que isso significa? Nao se trata da espada da violencia, mas precisamente de uma luta pela construção de um mundo melhor para todos para que assim exista a paz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário